quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Leituras

Este livro adquiri na Feira do Livro deste ano.

Uma boa surpresa. Livro para ler em um fôlego só, mas li em dois dias.

Retrata nosso tempo, nossas relações, nossa sociedade tendo como pano de fundo um crime.

Espero escreva mais. Espero a sociedade mude um pouco.


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Mais dois!

Foi só decidir que "Histórias Íntimas" seria a última leitura do ano, que terminei logo e ainda li mais dois livros.

Muito bom.

Ano que vem quero ler mais. Muito mais.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Sexualidade e erotismo na história do Brasil

Vou encerrar as leituras do ano, provavelmente com este livro qu e vou começar hoje à noite.

Li pouco este ano, minha biblioteca cresceu pouco também este ano, mas cresceu. E eu preciso ler, porque a fila é grande e bons títulos e autores.

Este é o primeiro livro que vou ler desta autora. Entre tantos títulos chamou a atenção para este momento tão sensível em que se debate sexo por prazer com opção de aborto ou sexo para procriação.

Sexo comportamento libertino ou sexo com responsabilidade?

É chegada a hora de entrar para dentro da história deste assunto no Brasil!


domingo, 27 de novembro de 2016

Emergência!

Uma coisa é não temer a finitude. Outra coisa é ficar cara a cara com ela.
Será que é agora, é assim? E depois? E se não for? Se a morte desistir e me deixar aqui toda torta, impondo a meus familiares a dolorosa missão de ter que cuidar de uma criatura sem capacidade de administrar a própria vida e fardo.

A vida é feita de escolhas, minuto a minuto, ou em segundos.
Aí você faz ligação procurando alguém disponível para te levar a uma emergência, mas todos estão ocupados.

E vc cria forças e vai só, e se apresenta na emergência e chora quando pedem o telefone de um familiar.

Daí vêm os exames, o enquadramento de "extrema urgência", medicação e observação. E , muito tempo para passar a limpo a existência, enquanto as demais pessoas boquiabertas não entendem o que está acontecendo, afinal a criatura parecia tão saudável, tão forte?

Mesmo fortes, mesmo saudáveis, somos todos perecíveis. Temos prazo de validade. Temos decrepitude, perda de qualidade e para esta função o destino é responsável.

Vale prosseguir, com coragem, com alegria até o fim, que é certo.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Novo dia, novos gatilhos

Cada novo dia traz novos caminhos, novos rumos e gatilhos para acessar outros resultados.

Com tanta opção, o risco de ficar parado é imenso.

Daí existe o risco de sair correndo, disparando para qualquer direção e lá novamente descobrir-se parado, estacionado, inativo e fora de foco.

Seria trágico se tudo isso não mostrasse as inúmeras possibilidades de acionar os gatilhos que a vida nos oferece diariamente, para o bem e para o mal.

Viver é uma aventura e podemos ser a fadinha de Peter Pan como um gorila feroz em uma floresta ainda desconhecida. Parar e disparar são faces da mesma moeda.

Com ou sem luz!

 

sábado, 10 de setembro de 2016

décimo sexto

Sigo lendo pouco, no sentido de livro inteiro, um por vez, mas sigo lendo sobre tudo o tempo inteiro.

Tenho alternado entre uma leitura "pesada" no sentido de técnica e outra "livre" que não muda a vida.

Em paralelo, tenho assistido a muitos filmes, chorado muito, muito mesmo e lido notícias, especialmente políticas.

A vida é boa, cheia de encantos e sonhos não faltam para transformar em realidade. Primavera quase na porta, minha melhor estação do ano, enquanto corre setembro meu mês preferido sempre e sempre.

sábado, 6 de agosto de 2016

onde vive o destino?

Uma pessoa querida da família foi em uma cartomante. Daí veio me contar coisas do meu futuro contadas nas cartas dela. Ri e pedi para me dar o endereço da pessoa.

Depois de alguma dificuldade fui e nada do que havia dito (não sabia que eu sabia) foi confirmado.

Muita coisa dita era falsa, quanto ao passado e o presente, Quanto ao futuro, parece que desenhou um quadro razoável, pelo pouco que tem acontecido nestes dias.

Não sou muito fã de adivinhações, de antecipar o futuro, até porque se alguém adiantar meu futuro, eu corro e mudo tudo, embaralhando os dias e criando novas oportunidades.

Jamais serei refém de cartas marcadas, mas confesso que foi divertido e até relaxante, por uma hora entregar minha vida, meu destino, meu livre arbítrio ao acaso nas mãos de uma cartomante anciã.

Terminei hoje de ler o livro singular de Jacob Petry, o segundo título que leio dele e super recomendo.
Singular é um livro para guardar perto, para reler e refletir sobre os rumos da nossa vida, dispensando a cartomante.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Entre leituras e viagens

Ano de poucas viagens e de poucas leituras, mas de muitos aprendizados, de muitas mudanças e ações bem sucedidas.
.
Viver é assim, ciclos que vão e vem, alterações de roteiros, criação de novos cenários e muita vontade de vencer.

domingo, 19 de junho de 2016

Paciente Impaciente

Levei muitos anos com medo, indecisão para realizar a cirurgia que fará um mês na próxima terça-feira. O medo me paralisava, por mais que o horror de viver com um problema que poderia se agravar, se não fosse resolvido.

Resolvido, sem mais muitos riscos, apenas repouso e cuidados, a impaciência tem que ser dominada dia a dia.

E o conforto são os livros, as pequenas tarefas que vão sendo possíveis e o passar do tempo e o sentir-se mais segura e confiante.

Tudo passa, inclusive por escolhas, por mais difíceis que sejam.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Faça Amor!

Estou me recuperando de uma cirurgia relativamente simples, mas com recuperação lenta.
 
Livros por todos os lados, lendo vários, mas este caiu em minhas mãos ontem, dia da primeira consulta após a cirurgia e  acordei a pouco para terminar de ler e não me arrependo.
 
Cabeça a mil, pensando, refletindo sobre este pequeno livro, delicado e sobre às vezes que tentei amar ou aceitar ser amada.
 
O título da obra coloca por terra muita confusão que fiz em relacionamentos amorosos e que muitos como eu fazem até hoje. Na maioria das vezes, nos dias atuais principalmente, a cultura vigente é que viver é um jogo e se a vida é jogo, amar faz parte de jogo e jogar com os sentimentos é ou seria uma rotina desejável. Mas como bem diz o livro, no amor não tem perdedor e vencedor. É óbvio que se a relação tá nesse nível, é jogo e não amor.
 
Vou prestar mais atenção nos meus sentimentos. Vou sorrir mais. Que aprender a amar, quero permitir que me amem. Quero esquecer os jogos. Obrigada Ique, a você e a seu amado pai, o escritor.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Frio!

Frio novamente e me apresento para atualizar leituras de estudos.

Para registrar que há três semanas curo uma gripe.

Que não estou estudando como deveria.

Que não estou amando como gostaria.

Que semana que vem entro na faca.

E que o futuro é incerto e não sabido, mas é preciso confiança, otimismo e sabedoria para prosseguir em busca da felicidade, da saúde e da prosperidade.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

depois do calor, frio de novo e eu de volta!

Incrível, não me lembrava que o ultimo post tinha a ver com frio e hoje está muito frio. Chegou para ficar até o fim de semana, ao menos.

Mas não vim registrar o frio, mas sim o calor das relações humanas. Não é fácil, mas não é impossível. Desde a última vez que estive aqui falando sobre isso, ou quase, me desencantei, me enamorei, me desenamorei, enfim, tive altos e baixos, mas tenho me divertido comigo mesma, minhas expectativas e com as surpresas da vida. 

Muitas vezes, quando estou entregando os pontos ou já desisti sem avisar, o juiz apita e recomeça tudo por outro ângulo.

Estou começando a gostar, a deixar as coisas serem como têm que ser e não como eu acho que têm que ser. Muito bom sair do controle e apreciar os acontecimentos, sem perder noção do perigo.

Anotei um livro lido em Abril. Que saudade de ler como eu lia antes, um livro inteiro ou vários ao mês. Sigo lendo muito, mas devagar, sem terminar, a não ser este que registrei agora.
Mas vamos em frente. Acho que estou com a vida mais equilibrada. Nem só de leituras completas se vive.

sábado, 12 de março de 2016

O frio chegando...

A temperatura começou a mudar e o calor deixou também a paixão que eu vinha sentindo para trás.

Estou lendo "Relacionamentos para Leigos" e quanto mais avança a leitura mais vejo que vou morrer leiga em termos de relacionamentos.

São tantos detalhes, tantos pontos que divergem e convergem, o passado, o presente, os sonhos e frustrações que é uma loteria encontrar um parceiro ou parceira para uma convivência amorosa.

Mas vamos em frente, se tem uma coisa para admitir é que não estou só nesta caminhada.

Eu e mais um monte de pessoas está no caminho de encontrar afeto, carinho, atenção e porque não amor e cumplicidade.

As aulas recomeçaram e com elas novos desafios e mais aprendizagem.

O jeito é ir em frente.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Momento de longa transição

Nos últimos dois ou três anos tenho passado pela transformação mais radical e mais consciente da minha vida.

Pela primeira vez, não tem volta.
Pela primeira vez, não depende tanto da minha vontade.
Pela primeira vez, preciso estar presente em cada pequena transformação.


Cada novo dia traz novas oportunidades, ainda que a estrada seja antiga e que acreditemos que fizemos de tudo por ali.

Há sempre algo novo por onde habitualmente passamos ou pelo que estamos habituados a fazer. Basta fechar os olhos e quando abri-los experimentar olhar como se fosse pela primeira vez. E agir Pela primeira vez, atuar como se fosse o último ato.

Nos últimos dois anos, dentro deles, me senti aprisionada em dúvidas, interrogatórios e silêncios intermináveis. Sem saber, fiz uma faxina na mente e muita coisa mudou.

Ainda tenho muito que aprender com emoções e reações, mas neste ano já estou movimentando novamente o corpo rumo ao que me dá prazer, conhecimento e paz.

Não vou deixar a crise, a incompetência dos outros, frear minha vida, que é breve e pode e deve ser boa.


domingo, 24 de janeiro de 2016

Ano novo em curso

O que acontece se a gente não faz retrospectiva,
se não estabelece resoluções para o ano que iniciou, nem ao menos respeita as superstições de boa sorte à meia-noite?

O sangue vem nos olhos e nos primeiros dias do ano, arranca-se o pau da barraca e cria confusão familiar.

Paralelamente tudo anda bem.

Não estabeleci compromissos diante do universo. Somente esta semana meditei um pouco em frente ao mar. Minha vida este ano está efetivamente diante de um livro cheio de páginas em branco, tudo a criar, tudo a construir, com fantasia, imaginação, criatividade e muita alegria.

E 2016 é um ano que vou ter que observar as seguintes frases:

"vontade de fazer com que dê certo e capacidade de ceder. não é dificil estar certo, mas aí a gente está certo e sozinho."